sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Uniban

Depois de ver o caso da Uniban (eu nem saberia se não fosse alertada pela mãe blogueira Ceila Santos), lembro o que sempre disse que diria para a minha filha:

"Filha, faça o que quiser nessa vida, Mas, cuidado, porque esse mundo é machista e o que você fizer pode se virar contra você."

O machismo é fato e somos nós mães que criamos os meninos como pequenos reis. Não espero que minha filha seja estandarte de luta de gêneros (sei que se ela quiser ser terei de aprender a lidar com isso), e anseio apenas que ela saiba lidar com as brigar que decidir comprar.

O mundo é machista, eu sei e minha filha saberá. Enquanto isso, as propagandas do Discovery Kids não cansam de repetir que "o mundo é rosa" e contam as histórias de príncipes e princesas. No nosso mundo real de sapos, o rosa me parece apenas uma triste falta de opção.

Ceila, não sei se te atendi. Não consigo nem imaginar que um filho meu participaria dessa cena triste. Mas imagino a minha filha no olho do furacão. Espero que ela não sofra por isso, nem por ser estandarte, nem por acreditar nessas idiotices de príncipes, princesas e putas.

Como mulher, me sinto princesa e puta e nada disso e muito mais.

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Orgulho da labuta 2

Olha as minhas meninas, onde é que elas vão?
Se já saem sozinhas as notas da minha canção

Matéria dos meus alunos publicada no jornal O tempo

Mundo cão

Hoje, na mesa ao lado no restaurante.

- Tem gente que demite por causa disso. Uma vez, lá na empresa, contratamos uma mulher como faxineira. Muito boa de serviço. Quando estava terminando o primeiro mês, olhei a ficha dela e mandei demitir. Era muito caro o vale transporte da mulher. Caro demais, tive que demitir.

Em silêncio, o meu coração doeu.

domingo, 25 de outubro de 2009

Jequitinhonha

Rodei Minas esse mês para discutir com os representantes das prefeituras um plano de consorciamento para a gestão do lixo urbano. Trabalho desafiador, empolgante. mas o melhor, como sempre imaginei que seria, foi conversar com os municípios do Vale do Jequitinhonha. Região pobre, a mais pobre do Estado, e seca. Gente marcada pela falta de água, pela ausência da fartura.
A tristeza do Vale, no entanto, deixa nas pessoas uma beleza, uma força, um encantamento. As discussões sobre os resíduos foram produtivas em todos os cantos, mas no Vale teve brilho, teve paixão. Quem já viveu a falta de água sabe que a natureza tem regras severas e ama o meio ambiente de forma muito mais intensa que todos os outros.

domingo, 18 de outubro de 2009

Cocó psicopata

Era muita informação para a pequena. A pousada ampla, com muito verde, abrigava vários patos, passarinhos, galinhas d'angola. Tinha ainda os lagos, as árvores, as flores, os cheiros, os sons, os cantos, as texturas. Tudo muito encantador e a pequena disparou a falar palavras novas.
O encanto absoluto durou poucos minutos. Estávamos debaixo do pé de pitanga, em meio às frutinhas vermelhas, quando chegou uma maritaca que parecia a fim de fazer amizade. Veio aproximando, puxando conversa, ofereci uma pitanga e levei uma bicada. Me afastei e ela veio em cima de mim. Desviei e ela foi para cima do maridão com a pequena no colo. Muito susto e muito choro da pequena. Corremos para o chalé e a ave psicopata bateu no vidro da janela tentando nos alcançar. Mais choro desesperado.
Depois soubemos que a maritaca, na verdade o Crispim, é muito amigável e só tem esse jeito torto, aterrorizante e pouco eficiente de conhecer gente nova. Mesmo assim de madrugada a pequena acordou, suando, e repetindo em tom de socorro: "cocó, cocó!!!"

terça-feira, 13 de outubro de 2009

A dois passos do paraíso

As mini-férias estão chegando. Serão quatro dias no ritmo do sol e da lua, nada mais (tá, no ritmo da pequena, o que é um pouco diferente). Um breve parênteses no meio da loucura. E hoje e amanhã será difícil de aguentar...