quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

Se não dá a elegância, pelo menos a higiene

Semana passada eu estava em Paracatu a trabalho.
Meu Deus, que terra quente!!!!!
A minha tarefa era conversas com representantes do governo e da sociedade organizada. Mas o calor era tanto que eu mal conseguia me concentrar na conversa, já que sentia o suor escorrendo por todo o corpo. Eu olhava para as pessoas, e todos pareciam bem, acostumados com o clima.
No meio da tarde, enquanto conversava com uma secretária municipal e sentia a roupa grudada, uma cachoeira nas costas e outra na testa, desisti da elegância e comecei a investir na higiene...

2 comentários:

Serrano Neves disse...

Chegou a ver a degradação produzida pela mineradora da KINROSS ?
Não?
É de alto interesse jornalístico.
Visite:
http://alertaparacatu.blogspot.com
Serrano Neves
pmsneves@gmail.com

Carmem Tristão disse...

é demais, né? lembro de quando era repórter de rádio e fui cubrir o lançamento da pedra fundamental da fábrica C da Aracruz Celulose, em Aracruz. A cidade é um forno! E na época, eu frequentava igreja evangélica super tradicional, então só podia usar saias. na ocasião, parada, imóvel, com o gravador tentando alcançar a boca do presidente da empresa, disputando espaço entre jornalistas, fotógrafos e cinegrafistas, sentia os pingos escorrerem pelas pernas... que sensação horrorosa! a partir daí adotei a calça como ferramenta de trabalho.