terça-feira, 23 de junho de 2009

Maresia

"Metade de minha alma é feita de maresia" - Maria Bethânia canta o mar e seus símbolos a partir da poesia de Sophia de Mello Breyner

Moro escondida entre as montanhas, mas o cheiro de mar invade as minhas narinas com frequência. O mar me chama e a minha alma clama por um banho de vida. É como mágica. É divino. É vital. É a minha fé. São os tambores de Mainha.

Um comentário:

Pai dos trigemeos disse...

moro entre as montanhas mas o cheiro de mar invade as minhas narinas.
pura poesia!
beijos