domingo, 4 de setembro de 2011

Papo de mulher

Nos últimos dez anos, fiquei oito sem menstruar. Foram dois mirenas (diu com hormônio) e uma gravidez. Agora voltei ao mundo intenso das mulheres, muito pelo desejo de deixar o meu corpo livre.
Depois de tanto tempo, é inevitável notar (e comemorar) o grande avanço dos absorventes. Lembro bem as primeiras regras, ainda bem menina, e a terrível - ainda que comum - experiência de voltar para casa com a roupa suja. Anos depois chegaram absorventes mais finos, mais flexíveis, mais desenvolvidos. Agora vejo que não houve uma nova revolução, mas há avanços que trazem mais conforto. Ainda bem!!!
Foi muito bom o período sem menstruação. No início, tive um sentimento de liberdade, a certeza de que a diferença entre homens e mulheres estava por um fio. Foi bom, mas era o momento de voltar às raízes.
Hoje faço o caminho ao contrário. Quero viver os meus ciclos, quero recomeçar a cada mês, quero ouvir o meu corpo gritar que sou mulher, que as minhas semanas são diferentes, que a minha energia é empenhada organicamente para que eu seja assim. Quero comemorar o milagre que só as mulheres podem viver.

3 comentários:

Suzana Marcia Braga disse...

isso mesmo. A menstruação é mesmo uma face da mulher. porque negá-la? beijo

Putz! disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Putz! disse...

Pelo mesmo princípio, defecar é um ato de reconhecimento da nossa própria humanidade. Eu cago porque sou humano! Por que negar o cocozão?